terça-feira, 17 de junho de 2008

O Tonto e a Atrapalhada

Era uma vez, um rapaz muito tonto, e uma moça muito atrapalhada. Certo dia, a tal moça pediu uma carona, e o Tonto a conduziu em seu carro no que deveria ser uma curta viagem de cinqüenta minutos. No começo estava tudo indo muito bem, prometia ser uma viagem agradável, porém, a Moça, acometida de seu “atrapalhamento”, começou a ficar nervosa, o calor dentro do carro a deixou enjoada, e ela se calou. O silêncio dela deixou o Tonto extremamente desconcertado, e cada vez que ele questionava o seu silêncio, mais silenciosa e irritada ela ficava. A viagem parecia que não ia ter fim.A Moça começou a sentir sono e o Tonto logo pensou que devia estar sendo muito chato. Mas chato ele não era. Era só tonto mesmo, pois não percebeu que aquele silêncio era apenas nervosismo da Moça, que só não conseguia falar porque seu coração estava descompassado demais, quase saindo pela boca, só por estar ao lado dele.

3 comentários:

Jana disse...

O tonto de tão tonto nem tirou a mala do carro, rsrs... E a atrapalhada de tão nervosa que estava ficou sem ação... Imagina eu:"Vem cá, meu filho, seu problema de hemorróida não lhe permite agir como um cavalheiro?"
Desculpa Fêzinha, mas tem coisas que me irritam profundamente...
Amo tu.
Beijinhos

Dra. Repolha disse...

Oi Jana! Tu não tens do que se desculpar... sei que gostas de mim que se preocupa, e se importa.
Acontece que o coração tem razões que a própria razão desconhece...E as borboletas voltaram a fazer alvoroço... Ai, ai, o que será de mim?

Vinicius disse...

Eu sou um misto de tonto e atrapalhado...

E aproveitando, sua descrição no "Quem sou" é uma das melhores que já li...

Voltarei!