sábado, 19 de julho de 2008

Não quero brasa, eu quero fogo!

Desde que me conheço por gente, e descobri que existe um coração aqui dentro, tenho sonhado com o amor da minha vida. Um tipo certinho, bonito e educado. Que seja inteligente, responsável, romântico, carinhoso, cavalheiro, enfim, um bom moço. Um verdadeiro príncipe encantado. Mas querem saber de uma coisa? Principes são muito chatos, uns verdadeiros "Bananas", com 'b' maísculo. E toda essa "pseudo-perfeição" é extremamente cansativa. Posso afirmar com todas as letras que estou cansada de tanta convenção, tanta gentileza e de toda a distância que isso implica. Eu quero é atitude, coragem, aventura, e uma pitada de loucura também. Quero que ele abra a porta do carro pra mim, mas que também passe a mão no meu bumbum e me chame de "gostosa". Quero que ele me fale de poesia e que morda o meu pescoço. Quero alguém que além de querer ficar ao meu lado, também queira ficar em cima, ou embaixo de mim. Estou farta de consideração, preocupação e de toda essa educação. Não quero um principe encantado de histórinhas de "faz-de-conta", quero um homem de carne, osso e tesão. Estou disposta a me queimar se preciso for, porque não quero brasa, eu quero fogo.


3 comentários:

Kelly Jessie disse...

Oi, legal! Gostei do "desabafo". Acho que queremos as mesmas coisas... Tem uma postagem do meu blog que eu peço coisas parecidas...não quero um Principe, quero o Lobo Mau! hehehe

Beijinhos...

E esperemos nossos Lobos! ^^

Kelly

Dona Sra. Urtigão disse...

trecho do Mahabharata :"É melhor inflamar-se ainda que apenas por um momento, do que arder eternamente de desejo".
Siga!
Um belo blog com ótimas coisas para se apreciar. Tenho vindo algumas vêzes, mas nem me atrevo a comentar. Parabéns.

disse...

Dona sra. urtigão sempre tem razão. Mas, às vezes, o momento rende um desejinho eterno... aí é que se torna um problema sério... hehehe
bjk