sábado, 12 de julho de 2008

Sei que na maioria das vezes eu faço papel de boba.
Tenho plena consciência dos meus exageros.
Mas por favor!
Não me condene por isso.
Deixe-me com minhas neuras, ilusões e devaneios...
Deixe-me sentir, amar, escrever.

4 comentários:

Jana disse...

Vc não é boba, minha querida! É intensa, não tem medo de expor seus sentimentos. Lindo isso!!!!
Beijoca

Kelly Jessie disse...

Sinta, ame e principalmente escreva...tem gente que adora ler o que vc escreve. ;)

Bjs.

Sir Fart disse...

A mesma palavra que aprisiona, liberta. Se você puder ser ao menos um pouco você, naquilo que escreve; se o seu DNA está em seus textos; se a sua liberdade de pensamento existe aí, por que não se expressar? Diga, sim. Grite para o mundo: "esta sou eu, ou ao menos uma porção de mim."
Abraços fortes!

disse...

Minha amiga, se vc é boba... eu sou imbecil!
Às favas com quem lê e não gosta, afinal de contas, ninguém é obrigado a tal, a não ser que vc ande seqüestrando, amarrando à cadeira e coloque a tela bem diante do nariz de quem fala!!!!
Bj