domingo, 21 de setembro de 2008

Isso é tão familiar...

E eu fui te abandonando pouco a pouco, você nem percebeu.
Primeiro acabaram as iniciativas de te procurar sempre.

Então parei de procurar desculpas pra conversar com você.
Guardei meus assuntos, meus segredos, meus desabafos.
Daí me limitei a apenas te responder vez em quando, cuidei de não estender assunto algum.
Prendi minha curiosidade, minha ansiedade, e principalmente, minha saudade.
Evitei saber da sua vida e comecei a cultivar o silêncio ao teu lado.
E uma vez morto o diálogo, era preciso matar a presença.

Fiz novos caminhos, tracei novas rotas, mudei minha rotina.
Então mudei de casa, de bairro, de cidade.
Não levei teu endereço pra não correr a tentação de te mandar nem sequer um telegrama.
Eu fui embora na esperança de que sentisse minha falta.
E achando que te castigava, condenei-me à solidão.

Do blog http://poetriz.wordpress.com/

3 comentários:

Jana disse...

Perfeitinho. Também achei muuuuito familiar, rs!
Saudades de vc, lindona!

poetriz disse...

Eu que o diga o quanto isso é familiar. =P

Dói essas coisas né?
Quando a gente espera uma reação do outro e na verdade, só a gente sofre...

Bjs!

Cais112 disse...

«Nada é permanente neste mundo cruel. Nem mesmo os nossos problemas.»

Visite e participe no fórum «Cais112» onde pode falar de tudo que esteja relacionado com saúde, desemprego, sociedade, desabafos, etc.

Para que possa encontrar ajuda e ajudar o próximo com as sua experiências.

Visite-nos e faça do «Cais112» um cais de interajuda para quem mais precisa!

http://www.cais112.com