domingo, 14 de setembro de 2008

"Eu passo quieta por você, você passa quieto por mim,
e eu ainda escuto o barulho que a gente faz.
E você já abalou tanto a minha vida. Que pena, agora você morreu.
Não morre, por favor.
Seja ele, seja o homem que perde um segundo de ar quando me vê."

4 comentários:

poetriz disse...

É como a introdução de "Hitch": O que importa na vida não é quanto tempo você respirou, mas quantas vezes você perdeu o fôlego."

Bjs!

Kelly Jessie disse...

Uiiii...lindo!

Não vejo a hora de perder o fôlego com um certo alguém..rsrs

;)

Bjs

Kelly

Juh... disse...

a nossa quietude externa as vezes mascara os vulcões internos que existem na gnte...
e é em cada perda de fôlego que temosa certeza de qe val a pena se reapaixonr, msm depois da morte de um antigo amor

fico feliz com sua visita
volte sempre
vou te linkar
beijos!

Lu Morena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.