quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Toc-toc

A alegria bateu à minha porta
Chegou de mala e cuia
Entrou sem pedir licença
Acomodou-se no sofá

Pediu um cafézinho
E como se já fosse velha conhecida
Foi logo mexendo em tudo
Colocou todas as coisas no lugar

Quando percebi
Já estava à vontade
De pijamas e chinelos confortáveis

Ocupou todos os espaços
Do meu coração
Disse que não pretende ir embora tão cedo

Um comentário:

Bruninha disse...

tb quero alegrias batendo em minha porta. :)