sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Mudo os passos, mas não saio do lugar...

Já passou da meia-noite.
Estou aqui em frente ao computador, pensando na minha vida, tentando expressar através das palavras o que está acontecendo aqui dentro de mim. Estou ouvindo Madeleine Peyrox há quase uma hora. Uma delícia para os ouvidos. A televisão ligada, no mudo, já começou o jornal da globo. Sim, está tarde. Mas de nada adianta eu ir pra cama. Vai ser mais uma noite de insônia, ou se eu tiver sorte, de umas quatro horas de sono apenas... Os últimos dias não foram nada fáceis. Tenho testado todos os meus nervos. E exercitado muito a minha massa cinzenta pensando em que rumo dar para a minha vida. E apesar de algumas noites de mal dormidas, não cheguei ainda à uma conclusão satisfatória. Cheguei num ponto, onde não há mais como ficar. Voltar atrás? Nem pensar. Não é do meu feitio. O único caminho é seguir em frente. Mas tenho tanto medo. Medo do novo, de deixar certas coisas, e das coisas novas que estão por vir. Meus pés já me conduzem em passos firmes para o amanhã há muito tempo, porém o coração teimoso insiste em coisas do passado. E nesse caminho vou seguindo em frente, mas com os olhos sempre voltados para trás. Parece confuso pra você? Pois saiba que não é diferente para mim.

2 comentários:

Bruninha disse...

sabe que entendo exatamente o que você escreveu neste post?
só o que posso te dizer é que as mudanças virão mesmo se você não quiser.
por mais que a gente lute para deixar as coisas com estão, ou por mais que a gente queira voltar atrás, a vida dá um jeito e transforma tudo...
e sabe que eu não posso reclamar? talvez, quando você perceber que as mudanças que virão inevitavelmente são boas de algum jeito [porque tudo tem um lado bom], você consiga relaxar e aproveitar o bom da vida. :)

ps: nossa! filosofei bonito.
bjinhosss

Kelly Jessie disse...

Sinto-me exatamente assim drª.

Tomara que nos encontremos logo.

Beijinhos.

Kelly