segunda-feira, 10 de novembro de 2008

À minha amiga Gê

Brincadeiras à parte... eu te digo que a gente vale sim, que valemos muito. E se as coisas hoje dão errado, não é questão de vidas passadas, até porque eu nem sei se acredito nisso. A questão é que somos diferentes da maioria. Sentimos demais. Sofremos demais. Mas também por isso é que vivemos mais. Somos intensas. E isso nem sempre é algo que os demais conseguem compreender e aceitar facilmente. Até porque como sempre digo, não é questão de entender, mas de sentir. Agora me diga, quem é corajoso o bastante para nos tocar?

Um comentário:

disse...

Olha euzinha aí!!! rs
Ferdinanda Maria, você tem mesmo razão, o problema é que a gente é decidida, sabemos o que queremos e, principalmente, o que não queremos. É um problemão mesmo. Para os outros. E essa intensidade toda... graças a Deus, né? Pelo menos o colorido tem mais graça. E até o acinzentado tem seu charme.