quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

"Restou apenas uma longa distância. Não distância geográfica, mas a distância dos corações."

Eu pensava que era saudade. Mas creio que na verdade o que sinto é pena. Não pena de mim ou de alguém. Mas pena de ver algo que era tão legal, tão especial e que talvez tivesse potencial para se tornar algo mais ficando cada vez menor. Percebi que, para duas pessoas se relacionarem, seja no amor ou na amizade, é necessário que haja procura e vontade de ambos. Não adianta uma apenas se doar, procurar, amar. Mas infelizmente uma delas sempre sente mais, e como consequência se ilude demais. Outra coisa que percebi é que nem todos estão abertos a receber tanto de outra pessoa. Ainda que ela sinta algo, que sinta algum carinho, falta equílibrio. Um lado quer mais, o outro não pode dar nada além do menos. E esse impasse causa dor e desentendimentos bobos. E quando nos damos conta, percebemos que não restou muita coisa além de uma longa distância. Não a distância geográfica, mas a distância entre os corações.



"Eu ainda gosto dela
Mas ela já não gosta tanto assim
A porta ainda está aberta
Mas da janela já não entra luz

E eu ainda penso nela
Mas ela já não pensa mais em mim
Eu vou deixar a porta aberta
Pra que ela entre e traga a sua luz"


(Nando Reis/Samuel Rosa)

Um comentário:

Kelly Jessie disse...

No meu caso é a distância geográfica mesmo...mas tenho fé que essa não vá causa a distância dos corações tbm...não não mesmo!