quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Vem andar comigo!

Basta olhar no fundo dos meus olhos
Pra ver que já não sou como era antes
Tudo que eu preciso é de uma chance
De alguns instantes

Sinceramente ainda acredito
Em um destino forte e implacável
Em tudo que nós temos pra viver
E muito mais do que sonhamos

Será que é difícil entender
Porque eu ainda insisto em nós
Será que é difícil entender
Vem andar comigo...

Vem, vem meu amor
As flores estão no caminho
Vem meu amor
Vem andar comigo


2 comentários:

Anônimo disse...

há tempos acompanho o seu blog... e sinceramente acho q vc tem uma sensibilidade à flor da pele...
o mais interessante é o quanto me identifico com tudo o que voce escreve... ontem mesmo ouvi essa música, e entao hj vc a posta ...minha vida é repleta de coincidencia...
Acho q somos um pouco parecidas... Isso de Dra. Repolha tem algo a ver com Medicina? eu faço medicina...
Outra coisa que queria comentar é que antes EU achava seus posts repletos de tristeza pelo fim de um relacionamento... eu tb gostava de escrever assim, mas se te interessa saber o que aconteceu comigo, eu parei de me lamentar e me fazer de ''coitadinha'' boa moça inteligente que sempre estive ali... Passei a jogar do outro lado, do meu lado! Valorizando tudo o q sei q sou! Parece que as coisas ficaram melhores, pelo menos consegui afastar de uma vez por todas um fantasma que insistia em habitar em meus pensamentos, e passei a enchergar o tanto de pessoas mais especiais ao meu redor...To falando isso pq parece que vc decidiu fazer isso tb... Fico feliz em ver!vc parece ser uma pessoa muito especial! E escreve mtooooo bem! :D eu gosto!


Júlia

Dra. Repolha disse...

Olá Julia!
Ler o seu comentário me fez pensar: Será que existe mais pessoas que assim como você acompanham (em silêncio) o blog?

Respondendo à sua pergunta:
Não, meu apelido não tem nada a ver com medicina. Admiro demais os profissionais dessa área, mas não nasci com essa vocação. "Dra Repolha" foi um apelido que uma amiga me deu... ela sempre brincava dizendo que eu era a psicóloga particular dela... como já me chamava de "Repolha", agregou um tempo depois o "Dra"...rs

Você tem razão, passei por um período de grande sofrimento e tristeza, mas não por conta do fim de um relacionamento, porque na verdade nunca houve esse relacionamento. Eu estava totalmente mergulhada num amor platônico!

Parei de me lamentar também e de achar que eu era a coitadinha (bom, você notou isso também). E estou começando a jogar do meu lado porque realmente eu sou especial, assim como você é também.

Obrigada por suas palavras. Volte sempre e fique a vontade para escrever seus comentários.

Até mais!