quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Jeito bom de se deixar viver!


"Quando já não procurava mais
Pude enfim nos olhos teus, vestidos d'água,
me atirar tranquila daqui
Lavar os degraus, os sonhos, as calçadas


E, assim, no teu corpo eu fui chuva
... jeito bom de se encontrar!
E, assim, no teu gosto eu fui chuva
... jeito bom de se deixar viver!


Nada do que fui me veste agora
Sou toda gota, que escorre livre pelo rosto
E só sossega quando encontra tua boca"




Um comentário:

Le Vautour disse...

Dra. Repolha, você anda inspiradíssima! Um príncipe encantado num cavalo branco? Maravilha!
Voltei faz bem pouco ao mundo virtual, mas com ânimo de acompanhar os blogs dos velhos conhecidos.
Abração, com as duas asas!