sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Live and let live... e Feliz Ano Novo!!!

Apesar da correria eu não poderia deixar de escrever o último post do ano. Fiz uma retrospectiva essa semana sobre tudo que aconteceu em 2010, e sobre o que não aconteceu também. Foi um ano muito bom, virei empresária junto com a minha irmã e com isso adquirimos muitas coisas como aprendizado, experiências, fortalecimento da nossa união. Superamos dificuldades financeiras e em familia. Sofri muito por amor e termino mais um ano sozinha e amando sem ser correspondida. Mas de tudo, tudo mesmo, de bom e ruim o saldo que resta é super positivo. Paixões vem e vão, nem todos os sonhos são realizados, porém novos sonhos surgem, e aquela estranha sensação de esperança por um novo ano muito melhor do que esse que se vai, toma conta do meu coração. Há pouco ouvi no rádio um canção do Paul McCartney, e prestando atenção na letra, tomei-a como meu lema para 2011, "Live and let live". Feliz Ano Novo pra todos nós!!!



Quando você era jovem e seu coração era um livro aberto
Você costumava dizer viva e deixe viver.
(Você sabe que dizia, você sabe que dizia, você sabe que dizia)
Mas se este mundo de constantes mudanças no qual vivemos
Faz você se entregar e chorar...


Diga viva e deixe morrer
(Viva e deixe morrer)
Viva e deixe morrer
(Viva e deixe morrer)

O que isso importa para você
Quando você tem trabalho a fazer,
Você tem de fazê-lo bem,
Você tem que dar ao outro camarada, o inferno.

Você costumava dizer viva e deixe viver
(Você sabe que dizia, você sabe que dizia, você sabe que dizia)
Mas se este mundo de constantes mudanças no qual vivemos
Faz você se entregar e chorar

Diga viva e deixe morrer
(Viva e deixe morrer)
Viva e deixe morrer
(Viva e deixe morrer)

Um comentário:

Poemas e Amizades disse...

Oi, Fernanda, bom dia!
Fico feliz que a simplicidade genial de Paul lhe tenha trazido um lema para 2011! É um belo lema, sem dúvida! Aliás, lemas costumam dizer o que há e como anda o que há de mais profundo em nós... Embora um leitor apenas (e esse “leitor apenas” me torna, de imediato, um observador distante), vibrei muito com seu empresariado, lá atrás, quando você o comunicou aos seus leitores. Pois algo tão difícil e exigente como uma empresa por gerir nos puxa com força de onde não queremos (mas precisamos) sair. Certamente, vibrarei mais quando ler um brado de independência, já suavemente anunciado com a “estranha sensação” reconhecida, de um ano melhor. Quem quer amar e ser amado chega a isso quando três linhas se cruzam no céu sobre a sua cabeça, tornando-o um alvo da felicidade: primeira linha, a do descobrimento de que, como ser humano, tal pessoa merece ser amada – e só ela pode traçar essa linha; segunda linha, a do descobrimento de que não há alguém por ser amado em quem não nos ama – e só a pessoa pode traçar essa linha também; e a terceira linha, a do descobrimento de que somos observados, e entre os observadores haverá alguém que, se dermos uma chance, mostrará que um grande amor é possível, e essa linha é feita por esse alguém, mas precisamos enxergá-la. Peço de coração que me perdoe a opinião, não há outra fórmula de felicidade. Quando essas três linhas se cruzam, o destino muda.
Um beijo carinhoso
Lello