terça-feira, 25 de março de 2008

O mundo que há em mim

Lanço meu olhar para o infinito
atravesso mares e horizontes
conduzo minha mente
para uma louca viagem

Passo por lugares diversos
vejo borboletas
sinto o perfume das flores
ouço o som do vento

Vou e volto
por entre círculos
curvas e descidas
tal qual numa montanha-russa

O destino?
lá onde oscila toda minha fantasia e realidade
o interior da minha alma.

Um comentário:

Mr. Fart disse...

Liiiindaaaa! Isto é sentimento puro! É como se a Natureza, para expressar-se, houvesse entrado, quando você respirou, em seus pulmões, invadindo seu corpo inteiro, causando uma reação fortíssima nas sinapses, e a expiração, fresca como o nascer do dia e perfumada como os jardins floridos, à aurora, se tornasse palavras.
Este heterônimo seu também é magnífico!