terça-feira, 11 de março de 2008

Permitir-se

Ela acordou radiante, com um sorriso enorme enfeitando o seu rosto. A noite passada havia sido maravilhosa. Espreguiçou-se demoradamente, levantou e foi até o espelho, e em frente a ele ficou por alguns longos minutos fazendo caras e bocas, admirando cada parte do seu corpo, o cheiro dele ainda estava nela, e sentiu-se explendorosa. Passou o resto do dia relembrando cada instante que esteve nos braços daquele homem. Recordando cada toque, cada palavra sussurrada em seu ouvido. Ao chegar o final do dia, toda essa excitação foi passando e dando lugar a uma imensa frustração. Um vazio imenso foi tomando conta do seu coração, sentiu-se usada. Por mais que fosse uma mulher livre e bem resolvida, não conseguia aceitar que tinha todo o direito de entregar-se assim aos impulsos do desejo. Talvez por ter sofrido tantas desilusões, por ter idealizado durante muito tempo um relacionamento de conto de fadas, não conseguia sentir-se confortável por finalmente tornar-se tão desejada. Era a primeira vez que um homem a tratava assim dessa maneira, com tantos galanteios sedutores e de forma totalmente real. Porém o medo que sentia não era maior do que a vontade de entregar-se a ele novamente. E antes de deitar a cabeça no travesseiro decidiu permitir-se ser feliz. Sem culpas, medos ou tabus. Apenas permitir-se!

2 comentários:

Mr. Fart disse...

Espero avidamente pela continuação!
Abraços!

Me, Myself and I disse...

....E antes de deitar a cabeça no travesseiro decidiu permitir-se ser feliz. Sem culpas, medos ou tabus. Apenas permitir-se!

Querida Fer , será que ela teria descoberto que a felicidade dela só a ela competia , será que decidiu ser feliz sozinha e ter apenas e somente amigos verdade e que o resto era só questão de acomodação ?? São tantas incógnitas não é ? muito bom ...junto com Fart aguardamos ansiosos um fim apropriado se quiser ajuda , estou dentro ...

BEijo