quarta-feira, 11 de junho de 2008

Pessoas medíocres e suas vidas insignificantes

Certa vez me disseram que eu era ingênua. É talvez eu seja mesmo, para acreditar nas pessoas, e sobretudo acreditar que há bondade nesse mundo. Mas não há. Não posso generalizar, afinal estaria sendo injusta com muita gente, mas é que nos últimos dias sinto como se eu estivesse em meio há um ninho de cobras. Tenho visto muita maldade, muita fofoca e um cuidado desnecessário com a vida alheia. É nojento! Não consigo encontrar palavra melhor para definir essa situação. Sinto nojo e pena. Muita pena dessas pessoas e das suas vidas medíocres. Afinal, se elas tivessem uma vida no mínimo interessante, cuidariam dela, ao invés de cuidar da dos outros. Sim, talvez eu tenha sido ingênua, mas não sou idiota. Eu vejo muito bem o que acontece ao meu redor. Como dizem por aí: "Tô ligada!". E sei muito bem me defender. Meus sentimentos são nobres e sinceros, e por mais que tentem, jamais vou me igualar ao nível dessa gentinha infeliz. Trabalho e ganho meu dinheiro honestamente. Sou responsável, competente e muito inteligente também. Tenho uma família linda e amigos que me adoram e que estarão sempre do meu lado. E o mais importante, amo, amo demais alguém, e se sou correspondida ou não, isso não é da conta de ninguém. Eu não preciso fazer fofoca e nem puxar o tapete de ninguém, porque eu sou muito feliz com o que tenho. À estes que se incomandam tanto com a felicidade e vida alheia, só tenho uma coisa a dizer: Cuidem de suas vidinhas insignificantes e deixem a minha em paz.

2 comentários:

Mr. Fart disse...

Fernanda, quando eu era criança pequena, lá em Barbacena, diziam-me que quem não tem luz própria, ou a tem fraca, precisa apagar a dos outros, para também aparecer. Deve ser isso. Continue sendo quem você é, com coragem, e deixe o resto para lá. Os que a tiverem por alvo ou a admiram ou a invejam; mesmo assim, siga independentemente o seu caminho, sem se importar com as circunstâncias. Como diz Quintana, os que me criticam passarão; eu, passarinho...
Abração!

disse...

Engraçado como os momentos da gente se parecem, né? Caraca! Tu és minha irmã gêmea e não sabia????
Pois é! Desgraça alheia e felicidade plena dos outros sempre dá ibope. Pena que a gente sempre é alvo da maldita invejinha...