sábado, 22 de março de 2008

Call me!

É a quarta noite, desta porcaria de feriado, que passo sozinha em casa. Cabelo escovado, roupinha nova em cima da cama, e os olhos e ouvidos voltados para o telefone celular que insiste em se manter calado. Tento fingir que não estou nem aí, que não estou esperando por ligação alguma, e nada! Ele continua mudo. Desliguei, liguei de novo, quem sabe é problema no sinal. Mudinho da silva! Coloquei meu antigo telefone para carregar, quem sabe me ligam nele. Mudo também. Nem uma ligação, mensagem, nada! Pelo menos começou a chover. Funciona como consolo. Com certeza mais gente além de mim vai ficar em casa também...

Ai, por favor, por favor, por favor!
Toca telefone, pleeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeease!


Na vitrola:

With one eye on the clock
And other on the phone
It´s 5:19
I´m feeling alone
So if I could talk to you
I´d wanted you to know
I´m holding loose
But ain´t letting go...

(Matt Wertz - 5:19)

4 comentários:

Me, Myself and I disse...

Fer querida ,

Não querendo achar normal , estar assim , mas queria dividir de forma natural, seu estado de euforia para que o celular tocasse .
As vezes é preciso entender que se as coisas não acontecem exatamente como esperamos, é por que outra coisa muito melhor está para acontecer .
Ë preciso entender que o coelhinho da Lua , sabe aquele ? , as vezes fica tão grande que a Lua se apaga , e dai é preciso esperar para que ele de forma natural , nos venha no tamanho certo , na hora certa .
Don't feel alone , it's never too late to find the limit of rainbow !!
Beijo

Dra. Repolha disse...

Puxa!
Nem sei o que dizer...
Acho que seria muito injusto e deselegante se depois disso eu continuar me sentindo sozinha...
Obrigada viu!? Obrigada mesmo!

Beijo meu querido,
Boa noite!

Mr. Fart disse...

Vou começar com uma observação que eu quero que vocês entendam muito bem, pelamordedeus: se eu fosse mulher, dava em cima do Betão. Olha, vou contar, viu?
Agora fecham-se as cortinas.
Fernanda, Dra. Repolha, ou este ser-humano grande, brilhante, alvo, e mais alguns adjetivos, que se esconde por trás de um rosto nacarado de uma menina de 25 anos. Às vezes, quando a gente é mais maduro que a turba-multa, ou quando está acima do entendimento médio, ou então quando pensa demais, e se questiona constantemente, as palafitas que sustêm as casinhas comuns não conseguem segurar as nossas, de jeito nenhum. Não mesmo.
Mulher muito inteligente dá medo, e você deve ser vítima disso.
Conflitos existenciais, crises de consciência, não ser compreendido (a), é o necessário crisol de dor por que passam as grandes almas, em processo de depuração (entenda-se aqui 'amadurecimento').
Servindo-me agora da sabedoria do Betão, não tenho a menor dúvida de que quando o seu celular tocar, efetivamente, tocará lá no fundo da alma, tocará veementemente, uma melodia de Strauss, Chopin, Verdi, Amadeus. Tangerá a cítara do espírito e refletirá, repercutirá e desbordará, em frêmitos insopitáveis de energia e renovação.
Você não estava só, não. Estava imersa em uma multidão de pensamentos, e a reflexão é o substrato da sobrevivência de quem pensa.
Se meu abraço puder ter efeito retroativo, que ele a encontre, fraterno e respeitoso.
Boa Páscoa!

Dra. Repolha disse...

Beto e Mr.Fart
Vocês são de verdade???

Vossas palavras são uma verdadeira massagem no ego de qualquer mulher.

Mr.Fart, tens razão, o Beto é um galanteador. Mas o senhor não fica muito atrás não.

Beijo carinhoso nos dois!