quarta-feira, 18 de junho de 2008

"E quanto mais e maiores motivos para não sentir, ele e a vida me dão... adivinhem? Sim, o amor cresce. Irresponsável, sem alimento, sem esperança e de uma burrice enorme. Ainda assim, forte e em crescimento"

2 comentários:

Jana disse...

Ah, se pudéssemos controlar o amor tudo seria tão mais fácil, não? Mas será que seríamos felizes? Imagina uma vida sem um pouquinho de sofrimento...

Beijocas

disse...

Fer, infelizmente aquele negócio que bombeia sangue pro corpo todo e a maquininha de impulsos elétricos que a gente carrega na cabeça são, digamos assim, meio "burrinhos". Quanto mais você mostra pra eles que não é bom, mais eles acham que podem...
Tudo do contra!
Entendo você. E como entendo!